Por Tudo O Que Tu És

Letra: Filipe Santos | Tânia Ribas de Oliveira

Música: Ernesto Leite

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

Já não sei o que hei-de pensar
Quando parto p’ra qualquer lugar do Mundo
A estrada que sigo
Não mata a saudade que teima em magoar
Tu és tudo o que sempre sonhei
És tudo o que quero e sempre desejei
E é na distância
Que a proximidade mais dói

Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Só para te ter perto de mim
Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Contigo eu vou ficar até ao fim

E é na estrada que vou continuar
Qualquer que seja o caminho
A que a vida me levar
És tu o destino, onde quero sempre regressar

Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Só para te ter perto de mim
Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Contigo eu vou ficar até ao fim

Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Só para te ter perto de mim
Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Contigo eu vou ficar até ao fim

Gosto da vida contigo
Gosto assim... De gostar de ti
E gosto mais de mim...
Por te sentir... aqui... dentro de mim
Aqui... dentro de mim

Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Só para te ter perto de mim
Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Contigo eu vou ficar até ao fim

Por tudo o que tu és
Vou de lés a lés
Contigo eu vou ficar até ao fim
O meu mundo
Tu és... o meu mundo
Por tudo o que és.

DISSO NÃO!

Letra: Filipe Santos

Música: Filipe Santos

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

Desço a calçada
Subo ao La Luna
Encosto-me ao balcão
Peço um café

Tomo rumo na estrada
Norte ou Sul
O local para onde vou
Só Deus sabe onde é
Só Deus sabe onde é

Perguntaste se fumava
Disse não!
Perguntaste de bebia
Disse não!
Perguntaste se correu bem o dia
Disse não!

Perguntaste se chorava
Disse não!
Perguntaste se comia
Disse não!
Perguntaste se queria
Disso não!

REF:

Perguntei-me se queria
Disso não!
Questionei-me se devia
Disso não!
Ás vezes bem que apetecia
Disso não!

REF:
E eu disse não... disso não!

KK KOISA

Letra: Filipe Santos

Música: Filipe Santos

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

A minha alma chora
E rebenta de alegrias
Sentimentos que se cruzam
Que se contradizem nestes últimos dias

Se é verdade que nascemos para morrer
Uma multa pesada de pagar
Porque temos também de sofrer para amar?

Kk coisa chamo por ti
O que sinto é tão forte
Que me dói o peito ao pensar
O tão perto, que é tão longe
A distância que estás de mim
Tu não estás aqui…perto de mim
Há algo em mim…que chama por ti.

NÃO FIQUES ASSIM

Letra: Filipe Santos | Rodrigo Bertelo

Música: Filipe Santos | José da Ponte

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

Todo aquele tempo que estive sem te ver
Deixei de te amar, com medo de te perder
Estava sozinho, isolado de todo o mundo
Perdido no caminho, saída para o fundo

Olha p´ra mim
Não quero que fiques assim
Olha p´ra mim
Eu quero que fiques aqui
Olha p´ra mim
Não quero que fiques assim
Olha p´ra mim
Eu quero, eu quero que fiques aqui

O tempo passou e eu virei a presa
Mas não se apagou a chama que estava acesa
Foi o destino que nos aproximou
Tudo tão repentino, feitiço que quebrou

REF:

A voz que me condena está escrita no luar
Como preto no branco...por ti, vou lutar

REF:

agora já nem sei

Letra: Filipe Santos | António Amaral

Música: Filipe Santos | José da Ponte

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

Fecha os olhos nesse sonho
Pensa em mim
As coisas boas que fizemos
Pensa em mim

Embarca nos sonhos que vivemos
Sente a força que eu em ti depositei
Abraça com raiva
Tudo o que eu te ensinei

Por ti chorei
Por ti lutei... vivi
Agora já nem sei
Se vale a pena... algo por ti

Fecha os olhos nesse sonho
Pensa em mim
As coisas boas que fizemos
Pensa em mim

Chegou o dia em que eu por ti parti
Segui a estrada desta vida por mim
A água que teima em não parar
De cair da fonte do meu olhar
Não quero crer... como posso ainda aqui estar

FERIDO

Letra: Filipe Santos

Música: Filipe Santos

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

Bastou um olhar, um sentir
Um simples olhar teu para eu me deixar ir

O teu sorriso
O sol do meu mundo
Que alimenta o meu ser

O calor de um abraço teu
Que me dá força, p’ra viver

E um dia tudo acaba, até a vida
É agora tudo ou nada, tudo ou nada

Tudo o que eu imaginei
Chorei, senti … lutei
Traíste-me a confiança, desprezei

O meu orgulho age em mim
O sentimento fala mais alto
Mil perdões já me pediste
Não quero mais nada teu

Magoado, humilhado, ferido
Agora só quero…

Ser esquecido … por ti.

sangue do meu sangue

Letra: Filipe Santos

Música: Ernesto Leite

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

Eu sei o dia
O último em que eu te vi
A sorrir para mim

Eu sei a noite
E sinto aquele intenso abraço
Só nosso e tão forte

Eu sei a tarde
Naquela que disseste adeus
A nós para sempre

Já estás aí
Tão perto de quem te levou
Nessa estrada, sem fim

Sem mais nem menos
Não viveste mais o amanhã
Mas sei que estás aqui
Sem mais nem menos
Sei que um dia vou aí chegar
Junto de ti

És sangue do meu sangue
E eu sempre acreditei em ti
Estás viva em mim

Contigo levaste
O teu bem, o teu bem mais amado
Lá no teu seio

Sangue do meu sangue
Sangue do meu sangue

Mais tarde ou mais cedo
Vou estar junto a ti

sÓ QUERO AMOR

Letra: Filipe Santos

Música: Ernesto Leite

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

Sentado ao balcão não paravas de olhar
Com o Whisky na mão parei p’ra pensar
Com mais de meio século agarrado a mim
Não me quero entregar … eu já não finjo

Eu quero o teu amor
Eu quero o teu amor só …
Só quero o teu amor
E quero ser melhor só …

Quantas mulheres usei só por usar
Sempre no mesmo hotel à beira-mar
Por horas ou uma noite era a condição
Tinha fechado a porta do coração

REF:

O gelo derrete no copo perdido
E tu a olhar p’ra mim … com esse modo
Eu conheço este jogo … não me quero deixar ir
Se ao menos eu soubesse que me queres ouvir

Eu quero o teu amor
Eu quero o teu amor só …
Só quero o teu amor
E quero ser melhor só …

ESTE NADA

Letra: Filipe Santos | Tânia Ribas de Oliveira

Música: Ernesto Leite

FILIPE SANTOS - ID - IMPRESSAO DIGITAL.j

De tudo o que fomos já só sobra este nada
Vincaste-me a vida, fizemos a estrada
Lembro-me agora do que não vivemos
Já não acredito em ti, porque não acredito em nada

Noites em branco e eu vestido de escuro
Enterro a saudade, quero saltar o muro
Ando à deriva nesta minha cidade
Viciei-me na alegria da tua possibilidade

De tudo o que fomos já só sobra este nada
Fechaste a porta seguiste a tua estrada
De tudo o que fomos já só sobra este nada
Tu já foste tudo em mim
Agora és sombra inacabada

Já não sei quem tu és, nem sei se existes
Tu só estás na memória, só nos sonhos persistes
Sem explicares o porquê, puseste-me na rua
Quantas vezes me disseste: “quero ser p'ra sempre tua”

Nada me prende a ti, tu em mim nada és
Sei seguir o caminho pelos meus próprios pés
Já não ando à deriva nesta minha cidade
Um dia vou encontrar-te, mas só se tiver vontade

Refrão:
Tu deitaste fora a chave, e a porta ficou trancada.